• Gustavo Goulart

Budo Kensho

Em 1987 a Nippon Budo Kyogikai (Associação japonesa de Budo), preocupada com os rumos para onde a prática do budo em suas variadas vertentes estava se encaminhando, desenvolveu a “Carta do Budo” (Budo Kensho). Não é recente a discussão da evolução, em especial competitiva, que as artes marciais sofreram ao longo dos anos. Com a maior preocupação no desempenho competitivo, diversos autores discutem como a busca por resultados sobrepujou o treinamento como forma de desenvolvimento pessoal.


Com a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, e a ocupação americana, a prática do budo se tornou restrita e, em sua maioria banidas por um período pela força de ocupação. Os anos 50 e 60 foram períodos em que o esforço para a manutenção da prática do budo em território japonês foi primordial. Isto culmina em 1964 com a vinda dos Jogos Olímpicos para Tokyo, e a introdução do Judo como modalidade olímpica.


Em 3 de Outubro de 1964, no parque Kitanomaru, próximo ao palácio imperial no centro de Tokyo, concluiu-se a construção do Nippon Budokan, que abrigaria as competições de judô naqueles jogos. Desde então, a fundação Nippon Buodkan continuou a operar como uma organização central para a promoção do Judo. Shoriki Matsutaro, primeiro presidente da Nippon Budokan assim descreveu os três principais objetivos desta instituição:


  1. Promover o espírito do budo como uma fundação japonesa de caráter nacional.

  2. Popularizar o budo entre o povo japonês, em especial nutrindo uma juventude saudável.

  3. Ajudar a elevar o kendo, o judô e outras artes do budo como disciplinas compulsórias no currículo escolar.


Com o intuito de evitar que a tradição do budo como ferramenta de transformação pessoal se perdesse em detrimento do enfoque em competições a Nippon Budoka, junto com as demais organizações membro da Nippon Budo Kyogikai desenvolveram estes artigos como parâmetros a serem observados, versando sobre os objetivos do budo, da pratica, o dojo, o sensei, etc. Esta carta, que apresento adiante, foi retirada do livro Budo The Martial Ways of Japan editado pela Nippon Budokan, após cada artigo coloco alguns comentários próprios para a discussão.

Diz assim o texto:


"[...] uma tendência à paixão apenas com a habilidade técnica agravada por uma preocupação excessiva com a vitória é uma ameaça séria à essência do budo. Para evitar qualquer possível deturpação, os praticantes do budo devem se envolver continuamente em auto-exame e procurar aperfeiçoar e preservar essa cultura tradicional. É com esperança que nós, as organizações membros da Associação Japonesa de Budo, estabelecemos “A Carta do Budo” para defender os princípios fundamentais do budo."

Budo Kensho


Artigo 1: Objetivo do Budo

"Através do treinamento físico e mental das formas marciais japonesas, os expoentes do budo buscam construir seu caráter, aprimorar seu senso de julgamento e tornar-se indivíduos disciplinados, capazes de fazer contribuições para a sociedade em geral."

A carta reforça em seu primeiro artigo o primeiro objetivo da prática do budo em construir valores ao invés do mero ganho competitivo. O budo é, pela própria definição de caminho, uma forma de aperfeiçoamento do indivíduo.


Artigo 2: Keiko (treinamento)

"Ao treinar no budo, os praticantes devem sempre agir com respeito e cortesia, aderir aos fundamentos prescritos na arte e resistir à tentação de perseguir a mera habilidade técnica, em vez de se esforçar para alcançar a perfeita unidade de mente, corpo e técnica."

Reforça-se a sessão de treinamento como ferramenta para atingir o objetivo estipulado no primeiro artigo. Ou seja, a prática no dojo deve ser o veículo para o desenvolvimento pessoal.


Artigo 3: Shiai (competição)

"Seja competindo em uma partida ou fazendo formas definidas (kata), os expoentes devem externalizar o espírito subjacente ao budo. Eles devem fazer o seu melhor em todos os momentos, vencendo com modéstia, aceitando a derrota graciosamente e constantemente exibindo autocontrole."

No terceiro artigo, evidencia-se a conduta esperada de um budoka quando em um palco de competições. A conduta em um evento é o retrato não só da capacidade técnica do atleta, mas também de sua capacidade de compreender que a competição não é um fim, mas um meio de desenvolvimento pessoal. Isto é, um comportamento compatível com os ideários do budo.


Artigo 4: Dojo (sala de treinamento)

"O dojo é um lugar especial para treinar a mente e o corpo. No dojo, os praticantes de budo devem manter a disciplina e mostrar as devidas cortesias e respeito. O dojo deve ser um ambiente silencioso, limpo, seguro e solene."

O dojo deve ser o espelho da prática diária, do professor e de seus alunos. Se a prática é a ferramenta, o dojo é a oficina de trabalho.


Artigo 5: Ensino

"Os professores do budo devem sempre incentivar os outros a também se esforçarem para melhorar a si mesmos e a treinar diligentemente suas mentes e corpos, enquanto continuam a aprofundar sua compreensão dos princípios técnicos do budo. Os professores não devem permitir que o foco seja ganho ou perda na competição, ou apenas na habilidade técnica. Acima de tudo, os professores têm a responsabilidade de dar o exemplo como modelos."

O quinto artigo salienta a responsabilidade do professor como um guia, aquele que tem o dever de passar o ensinamento para a próxima geração de professores. Somente através do ensino pode-se manter a tradição do budo através do tempo.


Artigo 6: Promover o Budo

"As pessoas que promovem o budo devem manter uma perspectiva internacional e de mente aberta, ao defender os valores tradicionais. Eles devem se esforçar para contribuir com a pesquisa e o ensino e fazer o máximo para promover o budo de todas as formas."

Aqui chama-se atenção para a responsabilidade que existe quando buscamos promover a arte marcial que praticamos seja ela qual for. A forma como nos portamos, realizamos eventos, e apresentações são o primeiro contato que muitos que ainda não praticam terão com a arte.


Fazem parte da Nippon Budo Kyogikai (日本武道競技会) :

All Japan Judo Federation, All Japan Kendo Federation, All Japan Kyudo Federation, Japan Sumo Federation, Japan Karatedo Federation, Aikikai Foundation, Shorinji Kempo Federation, All Japan Naginata Federation, All Japan Jukendo Federation e Nippon Budokan.


O Budo Kensho é um texto bastante interessante para entendermos o que significa a prática do budo. Às vezes, as diversas possibilidades de desenvolvimento desta prática parecem confundir praticantes e, algumas vezes, mesmo professores, sobre o que é o budo. Assim, é muito interessante observar as atitudes esperadas, expressa em carta, advindas das diversas organizações japonesas com relação àqueles que caminham no budo. Diversas vezes nos deparamos com códigos desenvolvidos por organizações nacionais de fora do Japão acerca de como se deve dar a prática destas modalidades. No caso do Budo Kensho, no entanto, podemos vislumbrar as expectativas das organizações japonesas com os praticantes de seu próprio país e, assim, tentar entender um pouco mais a cultura deste lugar onde estas artes foram criadas.


Para entender um pouco mais sobre o budo, não esqueça de ler os outros posts de nosso blog e ouvir nosso podcast.


あいがとうございました。